logo
Bem-vindo! Para ver todas as funcionalidades deve Entrar or Registrar.

Notification

Icon
Error

Enviar uma Resposta
De:
Mensagem:

Maximum number of characters in each post is: 32767
Anexar ficheiro ao post
  Visualizar Enviar Cancelar

Últimas 10 Participações (em ordem inversa)
admin Enviado: sexta-feira, 13 de outubro de 2017 16:31:39(UTC)
 

Terminaram as quotas de açúcar na União Europeia.

O cultivo de beterraba, em Portugal, volta a ser uma possibilidade, após a sua produção ter sido considerada como “deixando de ser viávelpelos agentes económicos nacionais, aquando da reforma da PAC de 2003.

A decisão de pôr termo às quotas de açúcar foi acordada entre o Parlamento Europeu e os Estados-Membros na reforma de 2013 da Política Agrícola Comum (PAC), com entrada em vigor em 30 de setembro último.

Com o fim do sistema de quotas, que representa uma viragem para o setor, Phil Hogan, Comissário responsável pela pasta Agricultura e Desenvolvimento Rural, acredita que “os produtores terão oportunidade de expandir a sua presença nos mercados mundiais e, com os apoios adequados da Comissão Europeia – como o Observatório do Mercado do Açúcar [que fornece estudos e estatísticas de curto prazo sobre o mercado do açúcar, bem como análises e perspetivas, para ajudar quer os agricultores quer os transformadores a gerirem mais eficazmente as suas empresas] –, deverão ter todas as possibilidades de êxito”.

Recorde-se que a União Europeia é o maior produtor mundial de açúcar de beterraba (aproximadamente 50% do total). Contudo, o açúcar de beterraba representa apenas 20% da produção mundial de açúcar, sendo os restantes 80% produzidos a partir da cana-de-açúcar. A beterraba-sacarina é maioritariamente cultivada na metade norte do território da UE, que tem clima mais propício. A UE tem também uma importante indústria de refinação de açúcar de cana importado em bruto.